lorenzo-e-augusto-odone-

Até onde iremos pelos nossos filhos?

Posted on Posted in Aprendendo com Cinema

Quem aqui realmente sabe qual é o seu limite?

Estou falando de quanta dor se pode tolerar, quanta indignação, quanta incerteza, quanta falta de esperança? Quem aqui sabe até ser testado realmente?

Desde que o Nicolas nasceu, eu nunca mais consegui assistir um determinado filme que fala da história da luta de uma criança com uma doença grave e de como os seus pais se dedicaram em busca de uma cura, um tratamento!

Pensar nessa história me faz sentir o quanto somos pequenos, o quanto somos fracos e como a vida é frágil! No filme é mostrado que essa criança poderia morrer engasgada com a sua própria saliva, e só de pensar nisso eu sofri nesses pouco mias de 10 anos por causa da minha covardia de encarar que essa poderia ser a realidade alguém!

Estou falando do filme Óleo de Lorenzo (Lorenzo’s Oil). Eu já falei dele aqui uma vez. Justamente depois da morte de Lorenzo que estava com 30 anos na época.

Hoje eu consegui rever o filme, estava sozinho na casa, e percebi o tamanho da responsabilidade que os seus pais (Augusto e Michaela Odone) enfrentaram durante toda a sua vida. Enfrentaram a ciência, ultrapassaram a barreira da arrogância médica, do capitalismo feroz da indústria farmacêutica, da sociedade, enfim… deles mesmos com suas angústias, tristezas e incertezas!

Pensar neles me enche de orgulho pela conquista mas me faz rever a mim mesmo como pai.

Quantas coisas enfrentei pelo Nicolas? Até onde eu fui na busca de uma qualidade de vida melhor para ele?

Claro que tenho consciência que Asperger não ADL. Nem de longe se assemelham as dificuldades de cada uma as situações. Mas o fato é que quando penso nos Odone, me sinto triste e alegre ao mesmo tempo!

Triste por não ser nem um milésimo do que eles foram para o seu filho, mas feliz pelo legado que eles deixaram para inúmeras outras famílias. De certa forma, é o que eu tento fazer com o meu blog. Muitas famílias entraram em contato comigo depois que eu o criei. Alguns me ligaram e buscaram conforto, um ombro. E assistindo o filme hoje, assim como os Odone, sei que pude deixar a minha contribuição aos que ainda não encontraram o seu caminho, ainda que tortuoso ou sofrido! Nós pais, precisamos dar as mãos e caminharmos juntos como Augusto e Michaela em busca de uma vida melhor para os nossos filhos. E dessa forma, nós não teremos limites e nossos filhos serão abençoados e poderemos voar!

Obrigado Lorenzo!
Nós carregaremos a sua luta e pensaremos sempre em você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *